Retrospecto Corinthiano


Jogo 5.175

3 x 1
O Guarani marcou o início e o fim da trajetória de Mano Menezes no Corinthians. A queda para a Série B ainda pesava sobre a alma quando o técnico estreou pelo Timão na noite de 17 de janeiro de 2008. Nenhum corintiano sabia o que esperar daquele jogo, disputado num fim de noite de meio de semana no sempre gélido Morumbi. Com um gol de Dentinho e dois de Finazzi o alvinegro venceu por 3 x 0, marcando o início da mais extensa passagem contínua de um treinador pelo Corinthians desde os idos de Mario Travaglini e Jorge Vieira na década de 1980.

Da vitória daquela noite por 3 x 0 ao triunfo da noite deste domingo por 3 x 1 sobre o Guarani, Mano comandou o Corinthians em 185 jogos, conquistando 103 vitórias, ficando em 49 empates e sofrendo 33 derrotas. Somente Oswaldo Brandão e Amílcar treinaram o Timão em mais oportunidades que Mano, o técnico de nome mais corintiano em todos os tempos, nos quase cem anos de história alvinegra.

Pela terceira vez em pouco mais de uma década um técnico deixa o Corinthians para assumir o comando da selecinha, o que é desagradável e prejudicial do ponto de vista corintiano. Extremamente exposto pela mídia, tudo o que acontece no Timão acaba ganhando proporções talvez maiores do que deveriam, e coisas assim acabam acontecendo.

Vanderlei Luxemburgo trocou o Parque São Jorge pela Granja Comary depois da conquista do Campeonato Brasileiro de 1998. Carlos Alberto Parreira fez o mesmo caminho depois de, em 2002, conquistar o Torneio Rio-São Paulo e a Copa do Brasil e de ser vice-campeão nacional. No Corinthians, Mano trouxe o time de volta à primeira divisão com o título da Série B em 2008 e foi campeão Paulista e da Copa do Brasil em 2009. Foram três títulos conquistados em oito campeonatos disputados.

Com a vitória de hoje por 3 x 1 sobre o Guarani, com um gol de Jorge Henrique e dois de Bruno César (e o juiz ainda acabou fazendo o desfavor de tirar injustamente Dentinho e Roberto Carlos do clássico contra o Palmeiras), Mano deixa para o próximo técnico o time na liderança do Campeonato Brasileiro e dono do melhor ataque da competição. O cargo será ocupado pelo zagueiro campeão do mundo pelo Corinthians em 2000 Adílson Batista. A responsabilidade é grande, mas se Adílson conseguir deixar tudo como está já vai estar bom demais.

Ovacionado pela Fiel, celebrado por seus comandados, Mano deixou o Pacaembu emocionado, há poucas semanas do centenário, certamente ciente de que a porta no coração de cada corintiano está aberta para sua volta no futuro. Volta logo, Mano!

Sob o comando de Mano Menezes (saldo da primeira passagem):
185 jogos, 103 vitórias, 49 empates, 33 derrotas.



 Escrito por Ricardo às 21h53 [] [envie esta mensagem] []






Jogo 5.174

3 x 1
"Puta que pariu", gritou mestre Chicão, aos 30 do segundo tempo, logo depois de desperdiçar seu segundo pênalti em dois jogos. Não é justo apontá-lo como culpado, mas a conversão daquele pênalti quando o Atlético Goianiense vencia por 2 x 1 poderia ter mudado a sorte do Timão na partida da noite desta quarta-feira, 21, em Goiânia.

É perceptível que Chicão não anda tranquilo e é preciso dar tempo para o zagueiro-artilheiro corintiano tirar a pressão das costas e recuperar a calma e a confiança. Afinal, algo não vai bem e ele merece toda a confiança da torcida e do elenco.

A questão é que não é comum os juízes marcarem tantos pênaltis para o Corinthians, ainda mais em dois jogos seguidos, mesmo claros como foram os pênaltis. Além do mais, o ataque ainda não se encontrou sem Ronaldo. Então não se pode dar ao luxo de errar.

Até aquele fatídico momento, o astro da partida (bastante disputada, por sinal) vinha sendo o trio de arbitragem liderado por Gutemberg de Paula Fonseca. Quando juiz aparece, nunca é coisa boa.

O time da casa abriu o placar aos 21 minutos de jogo com Robston, em cobrança de pênalti. O pênalti realmente ocorreu, mas havia impedimento do ataque do Atlético no lance que resultou na infração. É claro que o bandeirinha não viu. Mas o Corinthians reagiu e, aos 32, Iarley empatou.

O jogo ficou equilibrado e parecia que, a qualquer momento, o Corinthians viraria o jogo. Até que, aos 22 do segundo tempo, Danilo foi lançar uma bola e o próprio árbitro a interceptou, parando a saída de bola alvinegra, entregando-a ao meio de campo atleticano e pegando a defesa corintiana no contrapé. No desfecho da jogada, Pedro Paulo acertou um chute daqueles que só se acerta contra o Corinthians e recolocou o time da casa à frente.

Veio então o pênalti desperdiçado por Chicão. Pênalti claro e que o juiz devia estar louco para que acontecesse pra aliviar sua barra. Mas não deu certo. (Uma curiosidade: desde que chegou ao Timão, em 2008, Chicão perdeu apenas três pênaltis, sendo os três diante de Atléticos, o primeiro contra o Paranaense na Copa do Brasil de 2009, o segundo contra o Mineiro na partida anterior a esta e o terceiro contra o Goianiense, neste jogo.)

O Corinthians, na sequência, foi para cima em busca do empate e acabou se abrindo e cedendo o terceiro gol aos goianos aos 33 minutos da etapa complementar, o que selou o fim da invencibilidade mosqueteira no Brasileirão depois de dez rodadas.

É aquela coisa, comentou um amigo: campeonato italiano tem jogo fácil, no espanhol tá cheio de baba, no inglês o que mais tem é freguês, mas no Brasileirão só tem encrenca, independentemente da tradição ou da posição na tabela. O jogo de hoje contrapôs o líder ao lanterna. E o Atlético Goianiense, como sempre acontece quando times menores enfrentam o Corinthians, jogou o jogo da vida.

O resultado não mudou nada -  Corinthians continua líder, apesar do risco de perder a posição amanhã para o Fluminense, e o Atlético permanece na lanterna -, mas deixou claro que leva o Campeonato Brasileiro o time que errar menos. Qualquer bobeada pode custar um eventual título mais adiante. E isso vale pra todos.



 Escrito por Ricardo às 01h43 [] [envie esta mensagem] []






Jogo 5.173

1 x 0
A inspiração pode ter faltado, mas a transpiração foi suficiente para o Corinthians derrotar o Atlético Mineiro pela contagem mínima na tarde deste domingo no Pacaembu e recuperar a liderança isolada do Campeonato Brasileiro.

O gol da vitória mosqueteira foi marcado por Bruno César, mais uma vez salvando a lavoura, aos 34 minutos do segundo tempo, depois de muita insistência e de muitas oportunidades desperdiçadas pelo ataque.

De volta ao Pacaembu depois de um mês e meio, o Timão teve um pênalti a seu favor logo no primeiro minuto de jogo, quando Dentinho entrou na área e foi derrubado quando iria sair na cara do gol. O zagueiro artilheiro Chicão, batedor oficial do time, foi pra bola e... desperdiçou.

O pênalti perdido abalou o Corinthians. O time passou a pressionar com ansiedade, sem calma para definir as jogadas, o que resultou em muitas chances perdidas.

O gol veio quando parecia que não ia mais sair. Bruno César chutou da entrada da área e contou com um sutil desvio na zaga para que a bola escapasse do alcance de Fábio Costa e assegurasse a cabalística vitória de número 888 do Timão no Pacaembu.

Depois de algumas rodadas liderando o Brasileirão na companhia do Ceará, o Timão foi beneficiado pela derrota do adversário para o Internacional para assumir a liderança isolada. Os gaúchos contaram com um pênalti mandraque para vencer seu jogo.

Com a derrota do Ceará (ela faz do Corinthians o único time invicto do campeonato após nove rodadas), o novo vice-líder da competição é o Fluminense, que venceu as chacretes da vila por 1 x 0.



 Escrito por Ricardo às 20h50 [] [envie esta mensagem] []






Jogo 5.172

0 x 0
Líder e vice-líder duelaram em Fortaleza na retomada do Campeonato Brasileiro pós-Copa do Mundo e ficaram no empate sem gols. No choque do melhor ataque com a melhor defesa da competição prevaleceu o sistema defensivo cearense.

O Corinthians dominou a partida e deteve a posse de bola sem se expor aos contra-ataques do adversário, mas não foi capaz de converter em gol as chances que criou. Com Elias em noite nada inspirada, faltou a Mano Menezes a ideia de colocar Jucilei para dar mais mobilidade à armação.

O jovem William Morais e o meia Tcheco entraram no fim e até foram bem, mas tiveram pouco tempo para tentar algo. Bruno César e Defederico mais tentaram do que conseguiram. No gol, Júlio César mandou bem quando exigido.

Pode-se alegar que o jogo retrancado do Ceará, mesmo diante de sua torcida, é irritante, covarde e dificulta pra qualquer um. Suspeito, porém, ser justamente essa a intenção do Ceará. Afinal, esse o único jogo possível e eficaz para o clube na Série A, ao menos enquanto estiver dando certo.

Portanto, cabe a quem for enfrentá-lo criar meios de furar o ferrolho. Não foi o caso do Timão hoje à noite. E não vem sendo o caso de ninguém. O que eu mais temia, no entanto, era uma possível falta de ritmo do time levar a uma derrota. E pelo menos isso não aconteceu.

Seja como for, como é bom poder voltar a ver o Corinthians jogar pra valer. Só isso já valeu a noite, mesmo com o jogo tendo acabado 0 x 0.



 Escrito por Ricardo às 23h51 [] [envie esta mensagem] []






Finalmente o Coringão vai voltar

A chateação finalmente chegou ao fim. Depois de mais de um mês de uma copinha chumbrega ter gerado uma crise de abstinência em mim, o Corinthians voltará a alimentar meu vício na noite de quarta-feira. E, logo de cara, um duelo muito interessante.

O Timão irá a Fortaleza enfrentar o Ceará. Os dois são os únicos times ainda invictos no Campeonato Brasileiro após sete rodadas. A campanha é idêntica: 17 pontos em sete jogos, sendo cinco vitórias e dois empates. O Corinthians tem vantagem no saldo de gols e no número de gols marcados.

A presença do Ceará na parte de cima da tabela surpreende, apesar de cavalos paraguaios serem uma constante na era dos pontos corridos do Campeonato Brasileiro. Pode acontecer com qualquer um, inclusive com os clubes considerados grandes. Palmeiras e Botafogo que o digam.

A questão é que o Ceará tem seus méritos para estar onde está agora. Os cearenses sofreram até o momento apenas um gol no campeonato. Isso mesmo: um gol sofrido em sete jogos disputados! E o pior: o gol anotado contra o Ceará foi roubado - um gol de pênalti sorrateiramente dado ao Santos num empate por 1 x 1 na Vila Belmiro. Ou seja, a esta altura era para o Ceará estar liderando o Brasileirão.

Entretanto, parece que a parada para a Copa do Mundo não fez muito bem à sólida defesa cearense. O time fez 10 jogos pela Copa do Nordeste no período da Copa e sofreu 13 gols. E suspeito que o grau de dificuldade da Série A do Campeonato Brasileiro seja muito maior, no atual cenário futebolístico nacional.

Espero que Corinthians tenha pela frente, na quarta-feira, o Ceará da Copa do Nordeste. Afinal, futebol é fase. Mas o corintiano sabe como é. Qualquer jogador se empenha além de seus limites contra o Timão, pois sabe que fica em evidência se jogar bem.

A questão maior, porém, é que o Timão voltou. Enfim. Já estava em crise de abstinência.



 Escrito por Ricardo às 23h12 [] [envie esta mensagem] []






Jogo 5.171

0 x 6
O Corinthians foi dar um passeio pelo Mato Grosso do Sul, se perdeu no caminho e acabou goleando o frágil Comercial de Campo Grande por 6 x 0 na noite desta quarta-feira.

O amistoso foi o terceiro e último da preparação alvinegra durante o recesso de Copa do Mundo antes da retomada do Campeonato Brasileiro. Segundo o técnico Mano Menezes, a ideia era estabelecer na partida de hoje, em campo, a base do time que enfrentará o Ceará na próxima semana.

Diante de um adversário limitado, o Timão passou praticamente o jogo todo no campo de ataque. Mas o placar só seria aberto no fim do primeiro pelo zagueiro-artilheiro Chicão.

Na volta do intervalo, melhor na pontaria, o Corinthians disparou a goleada. Bruno César marcou o segundo aos 12.

Começaria a então aparecer o jovem William Morais, recém-promovido das divisões de base. Ele marcou o terceiro tento corintiano aos 24. O quarto foi marcado pelo zagueiro Leandro Castán aos 33 do segundo tempo. Quando o jogo já se aproximava do fim, William Morais fez o quinto gol e sofreu um pênalti que, convertido por Souza, fecharia a goleada.

Nada mal para um estreante. Torço para que não seja sorte de principiante, pois não conheço o futebol do garoto.

Contra o Comercial de Campo Grande:
Retrospecto geral: 3 jogos, 3 vitórias, 9 gols pró, nenhum gol contra.



 Escrito por Ricardo às 22h24 [] [envie esta mensagem] []




[ ver mensagens anteriores ]
 


 
 




Jogos do Timão ao vivo
Mundial de Clubes 2012
Mundial de Clubes 2000
Libertadores 2012
Recopa Sul-Americana 2013
Brasileirão 2011
Copa do Brasil 2009
Paulistão 2013
Paulistão 2009
Série B 2008
Copinha 2015
Copinha 2012
Copinha 2009
Anarcorinthians
Blog da Lara
Futebol, Política e Cachaça
Corintimão
Blog da Yule
Blog do Juca Kfouri
Vertebrais FC
Na Marca da Cal
Fiel Embu
Chance de Gol
RSSSF
 
 

Dê uma nota para meu blog